sábado, 28 de abril de 2012


ENCONTRO DE COROS NO SAMEIRO-2º Dia-22/ 04/201

O LUGAR DA MÚSICA NA LITURGIA

Todos sabem que, já nas sinagogas judaicas, se cantavam  hinos e salmos. Muitos dos salmos incitam os fiéis a aclamar, a louvar e a exaltar o Senhor pela grandeza das suas obras e pela misericórdia para com o seu povo. Jesus, como bom Judeu, também o fez. E os instrumentos deveriam acompanhar o canto dos salmos.
O canto na Liturgia sempre constituiu uma das mais belas formas de exprimir a alegria em Cristo ressuscitado. A “arte de bem celebrar” o acto Litúrgico foi e deve ser sempre a grande preocupação não só dos Pastores mas de todos os seus colaboradores.
O canto gregoriano sempre foi considerado como canto oficial da Igreja sem excluir outras formas de canto na liturgia.
O Concílio Vaticano II veio confirmar a posição eclesial de Trento sugerindo aos compositores novas obras, adequadas aos novos tempos, mas sempre apelando à nobreza artística e à finalidade a que se destinam.
Em todos os tempos surgiram boas e más composições, segundo os critérios de apreciação de cada época. No tempo de S. Gregório Magno fez-se uma selecção das inúmeras melodias gregorianas, muitas delas sem arte nem piedade, desde os textos às melodias.
 O mesmo haveria de acontecer, muitos séculos depois, no Concílio de Trento. O Concílio Vaticano II veio, através da Instrução “Musicam Sacrae Disciplina”, chamar a atenção para os mesmos problemas: a qualidade dos textos e a arte da música que deve estar ao serviço daquele com a única finalidade de os elevar espiritualmente e de nos aproximar do Divino. Pediu a rejeição de tudo o que levasse à mistura de contextos, ambientes e expressões sem sentido que desvirtuem a autenticidade da celebração, nomeadamente géneros de músicas que denotam ambientes de divertimento ou tragam à mente situações que nada tenham a ver com o acto Litúrgico.
As soluções musicais fáceis estão em contradição com as exigências do Evangelho de Jesus Cristo. Não passam de propostas ou tentações da sociedade de consumo em que estamos mergulhados.
A Igreja reconhece que os caminhos de Deus não se anunciam ou promovem com facilitismos que despertem simplesmente, emoções passageiras ao sabor das modas, quase sempre superficiais e sem qualidade artística. Não é fácil; mas é possível, tal como o grande desejo de Jesus: “sede perfeitos como o Pai do céu é perfeito”.
Creio que andamos todos à procura desta perfeição.

Hoje vamos ouvir cantar os corais de

GRUPO CORAL  Infantil da Lama- Barcelos
 Panis Angelicus            _ César Franck
Hoje é Páscoa                        _ Miguel Carneiro
A Virgem Nossa Senhora_ Miguel Carneiro
Director artístico:  Deolinda Martinho
GRUPO CORAL  Infantil de Vinhos e Coro Angelus de Fafe
Totus tuus  _ A. Cartageno
 Fui eu que vos escolhi Fui eu que vos escolhi
Ficai comigo, Senhor   F. Santos
Director artístico:  Clara Sampaio
GRUPO CORAL de  FORNELOS/ MEDELO
Ditosa Virgem                        -Augusto Frade
Glória ao Pai                -Carlos Silva
 Senhor eu Te adoro  _  Mário Branco/Mário Silva
Director artístico: _Pedro Gilberto Rodrigues Fernande
GRUPO CORAL  de Antime- Fafe
Ave Maria de la Sainte Chapelle   Harm. - J. Santos
Eu sei em quem pus a minha confiança  A. Cartageno
Somos testemunhas do mundo novo    J. Santos
Director artístico: Aníbal Monteiro Marinho

Sem comentários: