segunda-feira, 25 de maio de 2015

GRUPOS CORAIS INSCRITOS PARA 2015

Domingos       Inscrições      Obras/Cânticos  Maestro/Obs.

Dia 3/05
Grupo Litúrgico de Balasar
FALTOU
Pedro Malta

Dia 10/05
*Antime




*”Regina coeli” de Vinhós-Fafe








"Grupo Coral Litúrgico"  de Cruz-S. Tiago-Famalicão



*Coral da Lama
1- Vinde, Senhor, vinde em meu auxílio A. Cartageno
2-Onde há caridade verdadeira - F. da Silva
3-Hoje entrou a salvação nesta casa - Azevedo de Oliveira


1-Nós somos as pedras vivas - M. Luis/ Cartagena
2-Bendizei o Senhor - Taizé
3-O coro dos anjos canta - Nuno Queirós




1-Eis-me aqui  ( Marco Frisina)
2-Senhora do manto lindo ( H. Faria)
3-Já não sou eu que vivo ( Pe. Mário Silva)

1-Tollite hóstias- C. Saint Saens; 2-Água do lado de Cristo- M. Carneiro; 3-eu estou sempre convosco- M. Carneiro
Aníbal Marinho






Clara Sampaio









Mª do Sameiro Ribeiro




P. Armando
Dia 17/05
Ceide
Delães
Novo Rumo
Sameiro

Joaquina Faria
Joaquina
Joaquina
Arnaldo Vareiro
Dia 24/05
*Coral Vox Caeli de Cantanhede






*Coral de Areias






*Coral de Dume

1-Ave Verum – C. Saint-Saëns
2-Vencida foi a morte - J. S. Bach
3-Signore delle cime - Guiseppe Marzi
4-O Hino da Alegria - Manuel Faria
5-Glory to God - Haëndel
6-Rainha dos céus – F. da Silva
7-Senhora, nós Vos louvamos - Manuel Faria

1-Deus de eterna glória-Schubert
2-Vamos confiantes-A. Cartageno
3-Nós somos a Igreja- A. Cart.
4-

1-O Espírito do Senhor-M. Simões
2-Oração-Bethoven/M.Faria
3-Desagravo-Cón.Rod.Azevedo
4-Reina o Senhor-Sousa Marques

5-Louvai o Senhor-M. Borda















Deolinda Martinho


C. Gomes
Dia 31/05
2-Coral de Vizela





1-Grupo Coral de Real

3-Escola de Música Sacra de Real

1.        EXULTA DE ALEGRIA – 3 v.m.
2.        MARIA CONSERVAVA – 4 v.m. ACILIO MENDES
3.        OH MEU SENHOR – A SOLO – ADAPTAÇÃO DE OMBRA MAI FU DE HAENDEL
4.        PANIS ANGELICUS SOLO E 4 v.m.– CESAR FRANK

1- Aproxima a tua mão [F. Santos]
2- Caminhos de bênção [M. Faria]
3- Ó grande alegria [G. F. Haendel]
4- Misericordias Domini [H. Botor]

1- Sicut Cervus [G. P. Palestrina]
2- Ave Regina Caelorum [J. Rheinberger]
3- Avé, cheia de graça [F. Santos]
4- Maria, és a árvore da vida [F. Santos]
5- Senhora do Sameiro [M. Borda]

Pedro Marques





Mariana Certal


Mariana Certal







ENCONTRO DE COROS NO SAMEIRO
No passado domingo, dia de Pentecostes, realizou-se o terceiro encontro de coros no Sameiro  com a presença do Coral “Vox Caeli” de Cantanhede, Coral de Areias (S. Vicente) e Coral de Dume, Braga.
Pela primeira vez tivemos a presença de um coro de outra Diocese, o que muito nos agradou. Trata-se do Coral de Cantanhede, Coimbra,  que apresentou um programa ambicioso, recebendo muitos aplausos do público . Foi dirigiu pelo jovem Bruno Pinto que demonstrou possibilidades de construir um coral que venha a ser o orgulho da  Diocese em que está inserido. Certamente que lutou pela adesão de mais vozes masculinas e ainda não obteve a devida resposta. Acreditem, homens de Cantanhede, que vale a pena abraçar o projecto do coral “Vox Caeli” .
Tivemos, a seguir, a actuação do Coral de Areias. S. Vicente,  sempre presente nestes encontros, dirigido pela veterana e incansável Deolinda Martinho, senhora dedicada ao serviço  da Igreja, sobretudo através do canto e do órgão. As paróquias de Lama e Areias em Barcelos têm muitas graças a dar pelo trabalho dedicado desta Senhora. Como podem dizer que a “mulher” é discriminada na Igreja? Ela faz , e bem, aquilo para que melhor se sente preparada. E não é pouco.
Que bom seria, como ouvimos na homilia, se cada um pusesse os dons que recebeu do Espírito Santo ao serviço dos outros! Há tantos modos de servir e de dar um pouco do muito que recebemos!
 Por último, o Coral da Associação Cultural e Recreativa de Dume que, “gemendo e chorando” à  procura de voluntários que nos “emprestem” a sua bela voz de graça recebida, de graça a ponham ao serviço da Comunidade. Vós que por aqui passais os olhos, deixai-vos entusiasmar por uma causa que já tem raízes de quarenta anos! Se os novos andam por outras paragens que nem sempre estão em conformidade com os ancestrais costumes de uma Igreja viva e dinâmica, venham Vocês, os mais velhos, dizer que “estão presentes” e que não são inúteis peças nesta maravilhosa “engrenagem” que tem  como cabeça a pessoa de Jesus Cristo.  Sempre trabalhamos guiados por esta fé  e nela queremos continuar até que alguém nos mostre que outro caminho é mais “saudável” para a vitalidade do Cristianismo.
No próximo domingo, dia 31, teremos a presença de mais três grupos corais:  Grupo Coral de Real, Grupo Coral de Vizela e Grupo Coral da Escola de Real. Será dia de taça de Portugal com o Braga a mostrar os seus pergaminhos. Talvez a Senhora do Sameiro possa fazer um “jeito” se, tal como Moisés de braços erguidos, lá estiverem de ouvidos atentos enquanto os “guerreiros” de debatem com uma bola!
É o último grupo para este ano. Se Deus quiser, para ano teremos mais.
Obrigado a quantos nos escutaram.
acostagomes@gmail.com


ENCONTRO DE COROS NO SAMEIRO



Realizou-se, no passado domingo da Ascensão, o segundo dia dos encontros de coros na Basílica do Sameiro. Estiveram presentes os coros de Seide, Delães e Novo Rumo de Famalicão e o coro da Basílica do Sameiro.
Cada coro apresentou-se com o melhor que tinha e com a “performance” que o número de participantes e as dificuldades das obras exigia. Falo no número de participantes de propósito. Todos os grupos corais estão com série dificuldades em captar novos elementos. Aconteceu a “sangria” dos jovens que, justamente, foram procurar trabalho no estrangeiro. Alguns dos que eu vi nascer e no meu coral se formaram tiveram de “partir” por falta de condições de sobrevivência na terra que os viu nascer.  Daí a premência da adesão de novos elementos. Sem ovos não se podem fazer ....
Os três coros de Famalicão foram dirigidos pela mesma maestrina, Profª Joaquina Faria que, com o seu bom gosto e “vaidade” de ser “Faria” , preferiu as obras de seu tio o que constitui motivo de orgulho para quantos o tiveram como mestre. A uma ou quatro vozes, todas são muito belas e empolgantes quando saem da alma de quem as executa. E isso aconteceu.
O Coral do Sameiro, com os pergaminhos que vai ganhando em tantas participações públicas e com tão pouco tempo de trabalho com o Dr. Arnaldo Vareiro, constitui um exemplo do que deve ser a Música Litúrgica numa catedral ou santuário de referência como é o Sameiro. Fiquei agradado com a participação de dois organistas que dominam bem a arte e são polivalentes: tocam, cantam ou dirigem. É exactamente isto que gostaria ver na Sé, em S. Bento e em muitas outras igrejas aonde acorrem inúmeros fiéis que procuram cumprir o dever dominical e trazer algo de novo que lhes “encha” a alma. A igreja é o local apropriado. O resto podem encontrar em qualquer feira ou romaria.
No próximo domingo, dia de Pentecostes, estarão presentes três grupos corais: “Vox caeli” de Cantanhede, Areias (Barcelos) e Dume (Braga). Faremos o melhor que estiver ao nosso alcance para celebrar o dia “um” da Igreja de Jesus Cristo. Venham “ouver” e, se gostarem, adiram.

acostagomes@gmail.com
ENCONTROS DE COROS NA BASÍLICA DO SAMEIRO

Iniciou-se, no passado domingo, o primeiro encontro de coros Litúrgicos no Santuário do Sameiro. Estes encontros, que acontecem nos domingos a seguir à Páscoa, desde há três anos, têm como objectivo a apresentação das melhores obras musicais (cânticos litúrgicos) que cada coro trabalha e executa na liturgia da sua paróquia.
Neste passado domingo estiveram presentes os coros de Antime e Vinhós, Fafe , o coro de S. Tiago da Cruz, Famalicão e o Coro de Lama, Barcelos. Normalmente os coros paroquiais bem orientados- como tem sido o caso dos que se aceitam cantar no Sameiro- têm o cuidado de fazer uma escolha criteriosa dos textos e das músicas segundo os critérios dimanados do Concílio. Procuram cânticos com textos retirados da Sagrada Escritura, com sentido, com doutrina e trabalhados por peritos em literatura e liturgia. É claro que o efeito musical é de primeira importância já se destinam ao culto Divino e, por isso, a composição deve sair da mão (alma) de mestres na arte dos sons. Quase sempre escolhem autores consagrados com especial incidência no riquíssimo repertório dos compositores bracarenses, diocese com riquíssimo espólio para todos os actos litúrgicos e para todos os tempos litúrgicos. Claro que cada director artístico é livre na sua escolha.
Não pensem que os coralistas e os directores artísticos se preparam “com uma perna às costas”. Não é verdade. São muitas horas para ensaiar um cântico, para aperfeiçoar as vozes e sintonizá-las, em dias de calor e de frio e com o sacrifício do descanso. Fazem-no por gosto, por amor a uma causa e segundo os parâmetros da fé que professam. Absolutamente louvável tal atitude.
No próximo domingo teremos no Sameiro mais quatro coros: Ceide , Delães e Novo Rumo, de Famalicão e o Coro de Nossa Senhora do Sameiro.
É muito importante a formação de directores e organistas. Há muitos jovens que estudaram teclado nos conservatórios e academias que estão inactivos porque ninguém os convidou ou, então, têm receio de exercer tal tarefa. Acreditem que não é difícil e que não falta quem os ajude a integrar-se. Terão como recompensa a satisfação de serem úteis à comunidade e- quem sabe?- de ganhar algum prestando serviço onde não existe ninguém. Acreditem.

acostagomes@gmail.com