sexta-feira, 20 de junho de 2014

OS ENCONTROS DE COROS LITÚRGICOS NO SAMEIRO


No passado Domingo da Ascenção esteve no Sameiro o último grupo de Coros que apresentou algum do seu repertório e solenizaram os  actos litúrgicos da tarde. Foram os coros de Antime, de Fornelos/Medelo, de S. Gens e Infanto-Juvenil de Vinhós, todos do arciprestado de Fafe.
Participaram neste terceiro encontro no Sameiro catorze grupos corais distribuidos pelos arciprestados de Fafe (4), Barcelos (3), Guimarães (2), Famalicão (3) e Braga (2). As obras executadas sairam da criatividade de quinze compositores sendo quatro bracarenses os mais preferidos, a saber: M. Faria, S. Marques, M. Borda e B. Salgado.
Todos, no seu conjunto e em cada elemento, são merecedores do reconhecimento público, sobretudo das comunidades que dinamizam, pelo tempo que dedicam aos ensaios e pelos sacrifícios que estes causam.  Foi visível a satisfação com que participaram nestes encontros e o amor que dedicam à boa música coral (litúrgica). O instrumento predominante, para além da voz, foi o órgão. Apareceram outros clássicos, muito bem enquadrados e com intervenções adequadas. Surgiu, também, uma viola muito bem dedilhada, discreta e harmoniosa. O jovem tinha escola e fez o seu trabalho de casa. Como seria bom se os tocadores de viola nas nossas igrejas o fizessem só depois de estudar e de saber tocá-la como se de uma harpa ou cítara se tratasse!
Ficamos muito contentes com o aparecimento, nestes encontros, de mais um coral, o de Aborim, que se portou lindamente. Foi um exemplo digno de ser seguido por outros coros paroquiais que, sabemos, ainda são fiéis aos Mestres que nos precederam e deixaram um imenso repertório de música litúrgica que continua a enriquecer o património da música sacra Bracarense.

Não podemos  deixar de agradecer a amabilidade da  Confraria de Nossa Senhora  do Sameiro por estar receptiva à realização destes encontros na Basílica, com os constrangimentos que estas movimentações sempre provocam. No primeiro domingo de Julho a Confraria, através dos coros de Ribeirão (Famalicão) e Maximinos (Braga), promove uma homenagem ao sacerdote e compositor P. Henrique Faria, recentemente falecido, executando somente obras compostas por este sacerdote.
Neste final de festa fazemos três pedidos: 1.Que nas nossas celebrações se cante música de qualidade (aprovada) e se toquem instrumentos próprios da nossa cultura e com alguma mestria; 2.Que nestes encontros se inscrevam outros coros mesmo que algum dos veteranos tenha de fazer uma pausa; 3.Que daqui a uma ano estejamos cá para apreciar este crescimento que a Igreja pede e que tanto desejamos.
acostagomes@gmail.com

Sem comentários: