domingo, 20 de fevereiro de 2011

FORMAÇÃO DE SALMISTAS


Decorreu, nos dias 15 e 16 de Fevereiro, no salão Paroquial de Dume, uma acção de formação para os salmistas das paróquias da zona do Cávado. Embora tenham aparecido bastantes não estavam todas as paróquias representadas, o que é pena.
O Pároco de Palmeira teve a seu cuidado a orientação dos salmistas sobretudo numa perspectiva litúrgica deixando os aspectos técnicos para a crítica/apreciação dos presentes na acção de formação. Para além de vários aspectos estritamente litúrgicos, aplicáveis a leitores, acólitos, salmistas, organistas e outros "actores" na liturgia, socorreu-se de apontamentos práticos cedidos pelo P. Cartageno, compositor e maestro de nome bem conhecido na musicologia Portuguesa.
Desde o "saber estar" no ambão, à expressão sonora sem afectação nem exibicionismos, até à dicção e "entendimento" do carácter de cada salmo, os participantes tiveram a oportunidade de ver e ouvir variadas interpretações de salmos das diferentes épocas do Ano Litúrgico. Assim ficamos com alguma luz sobre o modo de interpretar um salmo penitencial, um salmo de louvor, de súplica ou de aclamação. Para cada um há modos diferentes de serem proclamados a fim de que, através da expressão, se possa transmitir à assembleia aquilo que o salmista quis transmitir ao povo Deus. Ontem como hoje.
Ainda há um longo caminho para percorrer a caminha da "perfeição". Esta jamais será conseguida; mas tem de ser "perseguida". O que foi dito para os salmistas já havia sido abordado com os leitores ou seja, a expressividade, a clareza na pronúncia, a pontuação e a cadência frásica. Leitores e salmistas têm de ter em atenção de que, nesse momento, são instrumentos da voz de Deus. Deus fala através de nós. Nós somos a Sua boca. Temos, por isso, uma enorme responsabilidade em desempenhar bem as funções que aceitarmos realizar no serviço litúrgico.
Na próxima semana a acção de formação incidirá nas competências dos organistas.

Sem comentários: